100%

Projeto de Lei do vereador Casagrande é aprovado e institui a Semana Municipal de Valorização da Vida em Concórdia

Nesta quinta-feira, 10, passará pela segunda votação, o projeto de Lei do Legislativo 10/2018, de autoria do vereador Claiton Casagrande (PR) que institui a Semana Municipal de Valorização da Vida, em Concórdia. “O objetivo é conscientizar a população sobre a prevenção e a possibilidade de se buscar a ajuda”, comentou Casagrande durante a primeira votação do projeto, na sessão desta quarta-feira.

Ele apresentou dados que mostram uma situação alarmante que envolve a região Sul do Brasil, divulgados no fim do ano passado, quando foi divulgado o primeiro Boletim Epidemiológico de Tentativas e Óbitos por Suicídio no Brasil, pelo Ministério da Saúde. Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná respondem por uma taxa de 23% dos casos. Considerando que os Estados detêm somente 14% da população nacional, o número é preocupante. 

Os dados mostram que entre 2011 e 2015, as maiores taxas de óbito por suicídio foram registradas nos estados do Rio Grande do Sul, de Santa Catarina e do Mato Grosso do Sul que apresentaram, respectivamente, 10,3, 8,8 e 8,5 óbitos por 100 mil habitantes. 

 Casagrande citou uma reportagem do Diário Catarinense onde foram divulgados dados  pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive-SC), em 2016, em que mostra que 2.990 catarinenses tentaram o suicídio e 603 foram a óbito. Em 2015, foram registradas 2.909 tentativas de suicídio e 598 óbitos. 

Um dos alertas do boletim é a alta taxa de suicídio entre idosos com mais de 70 anos. Nessa faixa etária, foram registradas média de 8,9 mortes por 100 mil nos últimos seis anos no país. A média nacional é 5,5 por 100 mil. Também chamam atenção o alto índice entre jovens, principalmente homens, e indígenas.

Para o vereador, a implantação da Lei tem por objetivo contribuir para expandir a atuação dos Centros de Apoio Psicossocial (CAPs), além de incentivar o acesso a serviços voluntários, como os Centros de Valorização da Vida, com ligações gratuitas para o número 188. “Nós sabemos que existe uma meta para reduzir em 10% a mortalidade por suicídio até 2020 e, nós enquanto vereador, estamos procurando fazer a nossa parte”, ressaltou.

A sugestão do projeto de lei é que na segunda semana do mês de maio sejam realizadas ações de reflexão e conscientização sobre o tema.

O vereador Evandro Pegoraro (PT) ressaltou a importância da prevenção e de conversar sobre o assunto. Pontuou que já passou pela experiência de perder uma pessoa querida pelo suicídio. “Toda e qualquer vida que for salva, já vale o cuidado, o investimento e a preocupação”, destacou.

Anderson Guzzatto (PR) comentou que “quando uma pessoa tira a própria vida, ela tentou na verdade, viver”. Na visão do vereador, é muito importante que sejam desenvolvidas estas ações com o foco de salvar vidas e também, famílias.

Os vereadores Closmar Zagonel (MDB) e Margarete Poletto Dalla Costa (PT) também elogiaram a elaboração do projeto de lei. 
 
Protocolos desta Publicação:Criado em: 09/05/2018 - 14:53:50 por: Divaleia Salete Casagrande - Alterado em: 09/05/2018 - 15:22:10 por: Divaleia Salete Casagrande

Notícias

Dia do Gaúcho é lembrado na Câmara de Vereadores
Dia do Gaúcho é lembrado na Câmara de Vereadores

Hoje, 20 de setembro, é comemorado o Dia do Gaúcho. A data foi lembrada na Sessão Ordinária, desta quinta-feira, na Câmara de Vereadores de Concórdia. “Ser gaúcho é um sentimento. É preservar tradições e culturas, comentou Fabiano Caitano, que relembrou a influência que teve por parte do pai.

Indicação sugere que município possa repassar recursos para escolas gerenciarem de forma direta para pequenas demandas
Indicação sugere que município possa repassar recursos para escolas gerenciarem de forma direta para pequenas demandas

Facilitar e dar mais agilidade para a direção das escolas municipais e também dos Cmeis de Concórdia com o repasse de recursos que possam ser utilizados para a execução de pequenos reparos nos educandários. Está é a sugestão do vereador Claiton Casagrande (PR) que sugere para que o município possa adotar o modelo de repasse àquele adotado pelo governo do Estado.