100%

Número de faltas nas consultas em Concórdia ultrapassou 2,6 mil entre janeiro e agosto deste ano

Uma indicação em conjunto de todos os vereadores apoia a campanha de conscientização desenvolvida pela Secretaria de Saúde de Concórdia, que pede responsabilidade para as pessoas que agendam consultas com especialistas na rede municipal. Das consultas disponíveis de janeiro a agosto em 22 especialidades (incluído Clínico Geral) foram registradas 2.691 faltas.

“O serviço está disponível para a população, mas é preciso ter a consciência de que a falta não avisada acaba tirando a vaga de outra pessoa que está esperando pelo atendimento. Por isso fica nosso pedido para que avisem os responsáveis pelas consultas”, comentou o vereador Claiton Casagrande (PR) que apresentou os dados dos números de falta de cada especialidades.
Especialidade Faltas –
de janeiro a agosto
Cardiologista 161
Cirurgião Geral 57
Cirurgião Torácico 7
Cirurgião Vascular 111
Clínico Geral
 (atendimento na Unidade Sanitária)
964
Dermatologista 71
Endocrinologista 70
Gastroenterologista 67
Nefrologista 24
Neurologista 157
Oftalmologista 223
Ortopedista 247
Otorrinolaringologista 74
Pediatra 184
Pneumologista 49
Reumatologista 10
Urologia 19
Pequenos Procedimentos 106
Coloproctologia 39
Saúde do Homem 40
Infiltração 7
Gastropediatra 4
Total de Faltas 2.691
 
Casagrande destacou que a maior parte das pessoas vai para as consultas, mas a falta de aviso, acaba por atrasar os atendimentos, prejudicando quem precisa. “Tenho feito visitas nas Estratégias de Saúde da Família e nos postos e, na grande maior parte das vezes não há falta mais de consultas”, pontuou ao pedir para que a população mantenha os contatos em dia.

Mauro Fretta (PSB) disse que é importante a transparência do uso do dinheiro em todas as áreas, inclusive na Saúde. O vereador explicou que para a consulta ser considerada como “baixada” ainda é preciso ir até a Secretaria de Saúde. “Vamos trabalhar para mudar está forma de realizar um novo agendamento ou da desistência”, disse.

Outro controle que passará a ser feito, conforme Fretta, pela Saúde é para identificar quantos exames são realizados pela população e não são retirados e acabam sendo descartados depois pelos laboratórios e diagnósticos de imagem.

“Quando se trata de algo público, se trata do dinheiro de todos nós. É esta consciência que precisamos ter”, pediu.
Closmar Zagonel (MDB) disse que por mais que “o sistema público seja demorado”, mas a falta de comunicação também prejudica. “Ontem, no caso destas 440 faltas na ortopedia foi o mesmo número de pessoas que deixaram de ser atendidas”, ressaltou ao dizer que precisa se “utilizar um sistema de tecnologia para facilitar a vida de todos os envolvidos neste processo, seja paciente, Secretaria e médicos”.

Anderson Guzzatto (PR) lembrou que o Governo do Estado teve no ano passado um prejuízo de mais de R$ 14 milhões pagando consultas em que pacientes não foram. Para o vereador, “as pessoas não podem extrapolar o direito que todos têm a saúde”. Guzzatto também disse que as pessoas precisam ter consciência de avisar, “porque agora o município precisa utilizar recursos públicos em campanhas de conscientização, para algo que seria de obrigação da pessoa avisar”.

O município está veiculando uma campanha para que as pessoas que agendam suas consultas e que não possam comparecer por qualquer motivo, avisem a Secretaria de Saúde, para remarcar e permitir outros atendimentos.
 
Protocolos desta Publicação:Criado em: 06/09/2018 - 17:22:00 por: Divaleia Salete Casagrande - Alterado em: 06/09/2018 - 17:33:48 por: Divaleia Salete Casagrande

Notícias

Dia do Gaúcho é lembrado na Câmara de Vereadores
Dia do Gaúcho é lembrado na Câmara de Vereadores

Hoje, 20 de setembro, é comemorado o Dia do Gaúcho. A data foi lembrada na Sessão Ordinária, desta quinta-feira, na Câmara de Vereadores de Concórdia. “Ser gaúcho é um sentimento. É preservar tradições e culturas, comentou Fabiano Caitano, que relembrou a influência que teve por parte do pai.

Indicação sugere que município possa repassar recursos para escolas gerenciarem de forma direta para pequenas demandas
Indicação sugere que município possa repassar recursos para escolas gerenciarem de forma direta para pequenas demandas

Facilitar e dar mais agilidade para a direção das escolas municipais e também dos Cmeis de Concórdia com o repasse de recursos que possam ser utilizados para a execução de pequenos reparos nos educandários. Está é a sugestão do vereador Claiton Casagrande (PR) que sugere para que o município possa adotar o modelo de repasse àquele adotado pelo governo do Estado.